quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Soberana de Glória entre os Espíritos Azuis

Música simples, tonal e descritiva, composta em homenagem a minha mãe. Descanse em Paz!

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Olha o que o CAPITALISMO tira de nós!



Olha o que o CAPITALISMO tira de nós!

    Normalmente existem variedades de uma mesma espécie, assim temos variedades, por exemplo de batatas, milho, arroz, feijão. Porém só se planta em escala aquela variedade que vende mais. Então quando se vai ao mercado só se encontra o milho amarelo, feijão carioca, arroz branco, etc. 

   Dessa maneira, se quisermos experimentar outro, preparemos o bolso!! Além de tudo, cheio de agrotóxico e fertilizantes. E assim vamos achando que a vida é assim, sempre tudo igual! Música igual, canal igual, comida igual, etc. E quanto mais igual for, mais chata é a vida! De tal forma que uma criança de hoje nunca viu um milho colorido! Por favor!

http://www.reidapamonha.com/curiosidades.html

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

O poeta, escultor e pintor Binha Verde Cristal, o Jarbas Roberto, meu querido amigo, auto-didata, teve a vida cheia de tumultos, apertos finaceiros e algumas doenças chatas. Mas ele ouviu o chamado artístico e começou a realizar sua arte, pois sempre manifestou talento e paixão pela arte. Sua expressão com a poesia, pintura e pedra dura tem traços únicos, sobretudo na escultura, o corte e o movimento das peças. Suas pedras deixaram de ser as simples de pedreiro, profissão que exerceu por alguns anos, para ser as esculturas vivas e, de certa forma, "pedras que sentem". Infelizmente a doença progrediu comprometendo a sua coordenação motora, ficou anos sem pintar e esculpir, hoje luta para publicar seu primeiro livro de poesias e voltar a fazer pintura e escultura.

Passagem

Eu passo,
Tudo passa.
No mundo energia,
Lá fora aqui dentro
Quase tudo é euforia.

Ruas, flores, pensamento
Vento, brisa, vento.

A cada momento sonoro
Aparece a beleza
Num instrumento musical.

l©Jarbas Roberto - Binha Verde Cristal
Todos os direitos reservados.

http://binhaverdecristal.blogspot.com.br/


segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Créditos ou não? REQUIEM em Re menor K. 626

Mozart e Sussmayer (leito de morte)


Créditos ou não?




Algumas pessoas se esquecem de dar os créditos ao homem que terminou a obra inacabada de Mozart, Requiem, uma das obras mais famosas. Porém é polêmica a questão. Deixo algumas informações sobre:





Mozart, W. A;

Süssmayer, F.X.

REQUIEM em Re menor K. 626

Antes de sua morte, Mozart, conseguiu terminar apenas três secções com o coro e composição completa: Introito, Kyrie e Dies Irae. Do resto da sequência deixou os trechos instrumentais, o coro, vozes solistas e o cifrado do contrabaixo e órgão incompletos, deixando anotações para seu discípulo Franz Xaver Süssmayer. Também havia indicações para o Domine Jesu e Agnus Dei. Não havia deixado nada escrito para o Sanctus nem para o Communio. Seu discípulo Süssmayer completou as partes em falta da composição, agregou música onde faltava e compôs completamente o Sanctus. Para o Communio, simplesmente utilizou dos temas do Introito e do Kyrie, à maneira de uma reexposição, para dar sentido integral à obra.

Uma das principais influências para a obra é o requiem de Michael Haydn.
A obra teve a sua estreia em Viena, 2 de Janeiro de 1793, num concerto em benefício da viúva de Mozart, Konstanze Weber. Foi interpretado novamente em 14 de Dezembro de 1793, durante uma missa para a esposa da Walsegg. (Burrows-Wiffen)

http://youtu.be/sPlhKP0nZII

Análise da obra por Frederico Toscano:
http://euterpe.blog.br/analise-de-obra/o-peso-de-mozart-no-seu-requiem

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Jararaca e origem do Captopril



Jararaca e origem do Captopril




O veneno da "Bothrops jararaca" é o ingrediente ativo de um dos medicamentos mais utilizados para tratamento de hipertensão, o Captopril. Agora dá para entender porque algumas "pessoas boazinhas" não têm hipertensão, rsrsrsr!