sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Palavras infelizes

Todos sabem que o português não anda muito bem no Brasil. Com tantos analfabetos funcionais, o tema foi muito explorado na internet, assim temos sites especializados em colecionar as famosas "pracas" que são casos para muito riso. Porém, isso só revela como anda fraco o domínio da língua, principalmente a escrita. Erros todos nós cometemos, mas nos casos publicados os erros são crassos.

Notemos que as causas são as mesmas de sempre: o nível baixíssimo das escolas públicas, a banalização da informação com o "Crtl+V", falta de noção da adequação linguística e a falta de reflexão para entendimento das ideias de um texto.

A solução para tal comprometimento para com a língua está em propostas como os programas de "leituras públicas", ou seja, projetos que pretendem incentivar a leitura oferecendo pontos de leitura pela cidade, assim qualquer lugar poderia ser uma boa hora para ler e aprender mais. Um exemplo disso é um funcionário de um açougue que, descobrindo a leitura, resolveu montar uma biblioteca para oferecer as moradores de seu bairro a mesma sorte que teve: conhecer os livros. Em seguida, com mais de dois mil títulos na biblioteca, resolveu fazer mais, montar uma mini biblioteca em alguns pontos de ônibus do seu bairro, assim obteve o apoio da população e luta para incentivar as pessoas a descobrirem os benefícios da boa leitura.


Algumas infelizes:

ACIDENTE NA BR22: Carro de mulher só dá a seta dianteira e causa acidente a um caminhoneiro. (Sem comentários)

FESTA JUNINA: Pau de sebo cai na banda e machuca músicos. (coitada da "banda" dos músicos, ai!!!)


PROMOÇÃO: Chupe dois picolés, e ganhe uma rosquinha doce do padeiro. ( Depois não sabem o porquê dizerem que padeiro queima a rosca!)


CAMPANHA: "Sua vida não vale uma dose"


CLÁSSICAS:


Corto cabelo e pinto.
Família muda vende tudo.
Redusa a velocidade.


SE BEBER
NÃO DIRIJA
REFLITA. (Depois da bebedeira, quem sabe!)



3 comentários:

cigana disse...

Existem tantas frases doidas por ai....Adorei..
Beijos
Ciganita

www.suavepoesia.zip.net

Christiane disse...

Oi, Wagner! Que deslize o meu com a peniNcilina, hein. Como dizem os linguitas, é uma influência da vogal nasal N. Mas já corrigi a gafe e já está PENICILINA. Gostei dos seus comentários e acho que temos ideias parecidas no que diz respeito ao tratamento da linguagem. Visite-me sempre que quiser, quero ler seus posts com calma. Obrigada, abraço!

Christiane disse...

A famosa placa que tanto meus alunos tentaram explicar e não conseguiram. Mas também, a placa em questão é autoexplicativa. No post anterior, quando digo sobre a influência do N, estou me referindo ao N anterior ao C.