sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Concretinha


Oi amigos! Estou esperando nossos amigos homo litteras se manisfetarem! Parece que nossa Sociedade ainda não pegou! Estive ausente, pois não é nada fácil compor, pesquisar, estudar flauta, etc. Mas, pesquisando é que encontramos coisas interessantes, assim compartilho com meus queridos homo litteras uma poesia CONCRETA de Claúdio Carvalho Fernandes, Teresina, PI.
Divirtam-se!

A blusa
leva
o seio
no
em
quanto
encanto o
quanto
em
nu
o seio
leva
a blusa

©Claúdio Carvalho Fernandes


segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Dinâmica do Amor - ©Larissa Martin




Partida é a semente
Contrapartida, o fruto,
Cíclica é a dinâmica
Do verdadeiro amor,
Que tem, sim, um começo,
Mas cujo fim ninguém verá.

O amor de verdade faz eco
Solta-se, propaga-se, amplifica-se
E volta ao emissor maior, mais belo
E mais intenso que quando foi.

O amor de verdade não somente preenche,
Mas derrama-se, espalha-se pelo ar
Qual pó de pirlimpimpim, fazendo, sem querer,
A magia da reciprocidade surgir.

Exato como matemática, pura e aplicada,
O amor verdadeiro de um
Mais o amor verdadeiro de outro
Resulta em duas pessoas felizes.

E o ciclo não tem fim...
- Te amo!
- Eu também!
- Eu também!...

©Larissa Martin

sábado, 15 de agosto de 2009

Piano com a boca e Ouvir sem ouvidos.



Oi amigos!

Hoje vou juntar Beethoven com comida!

Parece não ser uma boa ideia, mas olhando uma notícia ao abrir o site do MSN, vi umas fotos interessantes de alimentos em forma de bichos e instrumentos. Tratava-se de um pai artista que apostou na escultura com alimentos para estimular o filho a comer melhor. Pensei, ótimo método!

Achei curioso e me ocorreu a seguinte ideia quando vi o sanduíche piano: Eis um piano que qualquer um toca bem!!! Claro, pois se toca com a boca! Nham, Nham!!!

O interessante é que um cérebro bombardeado com notas musicais logo vai associando comida com mais notas musicais e me lembrei de Beethoven.

Bem, ele foi um marco na história da música, deixou inúmeras obras, apresentou a forma definitiva para a Sinfonia, foi além do imaginado na forma Sonata, mudou a Orquestra, fez uma nova instrumentação jamais pensada e suas obras serviram de modelo para todos os compositores que vieram depois.

E aonde vai dar essa história?

Vamos lá.

Ele teve uma vida díficil quando criança. Sua família era de pobres na cidade de Bonn, Alemanha. Dizem até que sua mãe quis abortá-lo devido aos seus outros irmãos terem nascido com sérios problemas de saúde. Mas nosso mestre conseguiu crescer e ficou conhecido como um grande pianista, até que, uma infecção atacou seu bem mais precioso: os ouvidos!!

A infecção começou a aumentar, e, aos poucos foi ficando surdo. Tamanho foi o estrago que não podia mais tocar o piano. Assim, quando executava seus concertos, passagens inteiras em pianíssimo não eram ouvidas e os fortes eram um estouro total. Então, Ele deixou o piano.

Contudo sua mente musical era incrível e continuou a compor até o fim de sua vida. Escreveu 9 Sinfonias, e quando compôs a 9ª estava completamente surdo, assim podemos conferir o poder de criação e o ouvido interno do mestre quando ouvimos essa obra prima. Que ouvido heim!!!

Na 1ª apresentação da 9ª Sinfonia ele não podia ouvir nada! Então para acompanhar a sua obra imagina a música em sua cabeça ouvindo com seus ouvidos internos e acompanhando o sobe e desce dos arcos dos violinos. Parece simples imaginar uma grande orquestra dentro da sua cabeça e com coro??? Então, ouça com os ouvidos mesmo, e se não der, sugiro que toque o sanduíche piano!!! Ha!! Ha!!

Confira o vídeo no YOUTUBE - Minha amada Imortal: http://www.youtube.com/watch?v=bcR63fPtSLs

Obra completa com Bernstein e Symphonieorchester des Bayerischen Rundfunks:

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Que olho! Uma lição by Celso Mathias


Oi amigos homo litteras!! Andando pelos blog interessantes descobri um super pintor e muito sensível artista, o Celso Mathias, assim, além do seu talento maravilhoso e suas obras, há ainda esse grande depoimento que faço questão de divulgar. Isso que é uma verdadeira lição de arte!!! Confiram! Vale a pena visitar o blog desse artista http://artedecelsomathias.blogspot.com/

Vamos a história:

Um dia, há uns anos atrás, eu (Celso Mathias) morava no bairro do Méier, e resolvi pegar meu cavalete e sair pelas ruas tentando encontrar algo interessante para pintar.

Parei em uma rua próxima a um viaduto e comecei a pintar um conjunto de árvores em uma casa.

Algum tempinho depois quando eu já estava quase no final da pintura, parou um mendigo ao meu lado e ficou me observando pintar.

Não demorou em ele fazer um comentário sobre a pintura. Que comentário!!

- “Essa árvore que você está pintando não é aquela que está lá”.

Parei na mesma hora e olhei para ele meio que não entendendo o que ele dizia. E ele de novo:

- “Essa árvore que você está pintando não é aquela que está lá”.

Olhei para o quadro, olhei para a árvore retratada e...

- “Não é? Por quê?”.

- Essa árvore aqui na tela é uma amendoeira e aquela é uma mangueira. Veja como você a pintou.

Ele se despediu e foi embora.

Naquela hora o chão se abriu em um misto de alegria e perplexidade.

Era isso mesmo. Eu estava pintando uma mangueira com suas folhas bem pequenas com pinceladas largas e estava saindo uma amendoeira com suas folhas grandes.

Deixei o quadro como estava para sempre me lembrar disso, fechei o cavalete e fui embora.

Fiquei o dia inteiro pensando naquele homem. Que olho ele tinha!!!

Foi uma tremenda lição de vida e de arte. Acho que nunca mais fui o mesmo artista depois daquele dia. Comecei a entender que uma coisa era pintar e a outra era “VER”.

O artista pode ser perfeito na técnica, mas se não tiver o “olho” não adianta nada, vai ficar só bonitinha a pintura e mais nada.

É preciso enxergar o que está por trás da tela ou o que a natureza quer revelar.

É só começar a treinar o olho. A se abrir pro novo, a experimentar as coisas que estão ao seu redor quando se anda nas ruas ou em qualquer parte.

É um jogo de sedução infinito. As cores brincam com a gente. As formas gritam aos nossos ouvidos e os detalhes que antes não se percebia, agora emergem das esquinas.

A meu ver, é isso que se constitui uma verdadeira obra de arte e não apenas preencher com tinta uma tela.

A meu ver, é isso que faz a grande diferença e que imortalizou pintores como VanGogh, Rembrandt, Matisse ou Picasso e tantos outros. O OLHO!!

Ficava pensando porque entre milhões e milhões de pintores no mundo na história da arte, apenas uma centena ou duas se destacaram como gênios? O Olho! Onde outros não tiveram e se contentaram em apenas preencher telas e não pintá-las verdadeiramente, eles pintaram o que estava por trás dos seus modelos ou paisagem!! Rembrandt pintou a alma de seus retratados, Van Gogh olhou além da linha do horizonte, Picasso transcendeu os limites físicos da tela e Matisse olhou as cores e formas como nenhum outro havia olhado antes.


QUE OLHO!!!



Celso Mathias

domingo, 9 de agosto de 2009

Secretly by Larissa Martin


Oi amigos! Estive ausente alguns dias, mas vamos postar hoje a poesia de Larissa.
Espero que nossos homo litteras que foram convidados para colaborar com o blog possam deixar suas idéias. Este espaço é nosso! Um abraço!



Talking to me is like
Opening the fridge
And grabbing a bite to eat.

Smelling my perfume is like
Remembering how familiar and sweet
Is your mamma’s scent.

Touching my hand is like
Holding your puppy dog
And caressing its head.

You look into my eyes,
But your eyes, oh, they’re blind!
You hear me call your name,
But your ears, oh, how deaf they are!

You cannot smell, you cannot taste…
You’re just not able to feel…
My love for you
Which is all over me!

Still it’s written: “[Love] is not self-seeking”
Lucky you, for I can’t not be able to love you.
Even if I crave it so badly, I simply can’t!
So I’ll just let you be… my love, for good and secretly!

©Larissa Martin, All rights reserved